A Relevância do Remo no Open

January 20, 2021 by
Credit: CrossFit LLC
Enjoying Morning Chalk Up? Access additional exclusive interviews, analyses, and stories with an Rx membership.

Editor’s Note: This story was translated to Portuguese by Axel Gouveia from the original English version, which you can read here.

O remo apareceu pela primeira vez no Open em 2013 e tem sido um pilar fundamental todos os anos desde então, até esta temporada.

Normalmente, o Open já carece de movimentos monoestruturais porque corrida, ciclismo, natação e esqui indoor nunca apareceram. Pensando nas definições rígidas que distinguem levantamento de peso, ginástica e movimentos monoestruturais, isso deixa apenas o remo e os double unders como movimentos mono estruturais testados.

  • Omitir o remo este ano significa que os double unders serão a única representação dos movimentos monoestruturais, o que levanta a questão de saber se a ausência do remo cria problemas em termos de profundidade do teste.

O que estão falando sobre o assunto:

  • Shane Farmer, Dark Horse Rowing: “Acho que a parte mais importante de ter o remo no Open é que ele fornece uma avaliação extra da capacidade monoestrutural, porque tem a intenção de expor a fraqueza de uma habilidade. Se você é razoavelmente bom no remo, pode se mover mais rápido do que outros que talvez não tenham a habilidade ou técnica adequada; então há esse fator de exposição.”
    • “Também é importante acrescentar que o remo não é necessariamente o movimento mais importante que existe no CrossFit. É ótimo, mas estamos perdendo mais um movimento monoestrutural em geral. O remo nem sempre precisa estar presente, acho que essa é uma perspectiva saudável também. Certifique-se de que entendemos que este é um movimento entre muitos que podemos escolher. ”
  • Patrick Brown, Rowing by Patrick: “Usar o remo permite que você estenda as provas e geralmente é o remo que fará as pessoas queimarem a largada em uma prova. Você nunca vai ganhar uma prova no remo, mas certamente pode perdê-la. É aquela fonte destrutiva sorrateira que muitas vezes é adicionada porque causa danos à alma sem percebermos. De qualquer forma, o remo nunca é usado em uma peça monoestrutural; é sempre usado para complementar alguma outra coisa. ”
  • Chris Hinshaw, Aerobic Capacity: “Qualquer tipo de exercício pode ser chamado de cardio (ou monoestrutural) se o objetivo principal for melhorar a capacidade cardiorrespiratória e a resistência. Acredito que uma das provas monoestruturais mais importantes dentro do CrossFit Open foi em 2012: 7 minutos de burpees; um incrível teste cardiorrespiratório ‘aeróbio’ de modalidade única.”
  • Cam Nichols, RowingWOD: “Minha opinião é que o remo é um dos movimentos corporais mais eficientes e completos, que pode avaliar muitos componentes do condicionamento físico. E ao coroar o “Fittest on Earth”, eles devem ser competentes nisso. Também acho que é uma ótima ferramenta para usar no Open, pois mede objetivamente a capacidade de trabalho e separa as centenas de milhares de concorrentes em todo o mundo em níveis de condicionamento.”
  • “No entanto, também acho que, dado que todos provavelmente concluiremos o Open mais isolados fisicamente do que nunca, e no espírito de inclusão, um fator a ser fortemente considerado é se a obrigatoriedade de uma máquina de remo de $ 1k (no Brasil 10.000 reais) como uma ferramenta de preparação para todos está certo neste estágio”, disse Nichols.
  • “Eu adoraria ver o remo no Open, é claro, mas apoio completamente quaisquer decisões tomadas pela nova direção do QG da CrossFit para oferecer um teste de aptidão justo e inclusivo, em que possamos nos unir e que nos aproxime ”, concluiu.

Get the Newsletter

For a daily digest of all things CrossFit. Community, Competitions, Athletes, Tips, Recipes, Deals and more.

This field is for validation purposes and should be left unchanged.