A Relevância do Remo no Open

January 20, 2021 by
Credit: CrossFit LLC
Enjoying Morning Chalk Up? Help to ensure that we can continue to be an independent voice for the community and sport we love by supporting our journalism today.

Editor’s Note: This story was translated to Portuguese by Axel Gouveia from the original English version, which you can read here.

O remo apareceu pela primeira vez no Open em 2013 e tem sido um pilar fundamental todos os anos desde então, até esta temporada.

Normalmente, o Open já carece de movimentos monoestruturais porque corrida, ciclismo, natação e esqui indoor nunca apareceram. Pensando nas definições rígidas que distinguem levantamento de peso, ginástica e movimentos monoestruturais, isso deixa apenas o remo e os double unders como movimentos mono estruturais testados.

  • Omitir o remo este ano significa que os double unders serão a única representação dos movimentos monoestruturais, o que levanta a questão de saber se a ausência do remo cria problemas em termos de profundidade do teste.

O que estão falando sobre o assunto:

  • Shane Farmer, Dark Horse Rowing: “Acho que a parte mais importante de ter o remo no Open é que ele fornece uma avaliação extra da capacidade monoestrutural, porque tem a intenção de expor a fraqueza de uma habilidade. Se você é razoavelmente bom no remo, pode se mover mais rápido do que outros que talvez não tenham a habilidade ou técnica adequada; então há esse fator de exposição.”
    • “Também é importante acrescentar que o remo não é necessariamente o movimento mais importante que existe no CrossFit. É ótimo, mas estamos perdendo mais um movimento monoestrutural em geral. O remo nem sempre precisa estar presente, acho que essa é uma perspectiva saudável também. Certifique-se de que entendemos que este é um movimento entre muitos que podemos escolher. ”
  • Patrick Brown, Rowing by Patrick: “Usar o remo permite que você estenda as provas e geralmente é o remo que fará as pessoas queimarem a largada em uma prova. Você nunca vai ganhar uma prova no remo, mas certamente pode perdê-la. É aquela fonte destrutiva sorrateira que muitas vezes é adicionada porque causa danos à alma sem percebermos. De qualquer forma, o remo nunca é usado em uma peça monoestrutural; é sempre usado para complementar alguma outra coisa. ”
  • Chris Hinshaw, Aerobic Capacity: “Qualquer tipo de exercício pode ser chamado de cardio (ou monoestrutural) se o objetivo principal for melhorar a capacidade cardiorrespiratória e a resistência. Acredito que uma das provas monoestruturais mais importantes dentro do CrossFit Open foi em 2012: 7 minutos de burpees; um incrível teste cardiorrespiratório ‘aeróbio’ de modalidade única.”
  • Cam Nichols, RowingWOD: “Minha opinião é que o remo é um dos movimentos corporais mais eficientes e completos, que pode avaliar muitos componentes do condicionamento físico. E ao coroar o “Fittest on Earth”, eles devem ser competentes nisso. Também acho que é uma ótima ferramenta para usar no Open, pois mede objetivamente a capacidade de trabalho e separa as centenas de milhares de concorrentes em todo o mundo em níveis de condicionamento.”
  • “No entanto, também acho que, dado que todos provavelmente concluiremos o Open mais isolados fisicamente do que nunca, e no espírito de inclusão, um fator a ser fortemente considerado é se a obrigatoriedade de uma máquina de remo de $ 1k (no Brasil 10.000 reais) como uma ferramenta de preparação para todos está certo neste estágio”, disse Nichols.
  • “Eu adoraria ver o remo no Open, é claro, mas apoio completamente quaisquer decisões tomadas pela nova direção do QG da CrossFit para oferecer um teste de aptidão justo e inclusivo, em que possamos nos unir e que nos aproxime ”, concluiu.

Get the Newsletter

For a daily digest of all things CrossFit. Community, Competitions, Athletes, Tips, Recipes, Deals and more.

  • This field is for validation purposes and should be left unchanged.