Sara Sigmundsdottir Anuncia Max El-Hag Como seu Treinador e Se Diz Pronta Para Fazer “Mudanças Dramáticas”

February 9, 2021 by
Image Credit: Sara Sigmundsdottir
Enjoying Morning Chalk Up? Access additional exclusive interviews, analyses, and stories with an Rx membership.

Editor’s Note: This story was translated to Portuguese from the original English version, which you can read here.

As especulações sobre o futuro do treinamento da Sara Sigmundsdottir podem ser deixadas de lado. Ela confirmou oficialmente ao Morning Chalk Up que pediu a ajuda de Max El-Hag como seu treinador daqui para frente.

El-Hag é o treinador principal e fundador do Training Think Tank, com sede em Alpharetta, Geórgia, e agora tem a tarefa de ajudar uma das maiores estrelas do ecossistema a recuperar o equilíbrio no mais alto nível do esporte.

Relembrando: depois de iniciar sua carreira com dois pódios consecutivos nos Games de 2015 e 2016, Sigmundsdottir lutou contra uma enxurrada de lesões, agravadas por várias mudanças de treinador ao longo do caminho, que causaram o desempenho de uma das atletas favoritas dos fãs começar a cair nos Games.

  • Em 2017, Sigmundsdottir mudou-se para os Estados Unidos, juntando-se à equipe da Mayhem e viria a ganhar o Open mundial e a Central Regional, antes de terminar em 4º nos CrossFit Games no primeiro ano em Madison.
  • Em 2018 ela voltou para casa e se juntou ao Red Pill Training e ao treinador Phil Mansfield. Sara terminou em 21º no Open, em 3º na Europe Regional, e apesar de ter quebrado uma costela no primeiro dia, estava em 6º lugar no geral antes de desistir devido à uma lesão.
  • Depois de terminar em 19º nos Games de 2019, Sigmundsdottir decidiu ser uma atleta independente, passando o tempo viajando e treinando com diferentes grupos enquanto competia em vários Sancionados e no Rogue Invitational.
  • Sigmundsdottir resistiu a uma infecção bacteriana e problemas com insuficiência da adrenal antes de terminar em 21º nos Games em uma modificada primeira fase. Desde então, ela voltou a se concentrar em reconstruir sua saúde no geral.

Os fãs que mantiveram um olho atento podem ter notado dicas sobre a mudança de treinador no ano passado, quando Sigmundsdottir começou a marcar o Training Think Tank em seus posts e stories no Instagram em dezembro. Curiosamente, porém, a jornada em direção à parceria teve raízes há muito tempo, quando Sara fez a primeira mudança de treinador após seu pódio em 2016.

  • Sigmundsdottir: “Em 2017, visitei Max e o Training Think Tank, passei uma semana com eles, mas eu simplesmente não estava pronta para o que ele queria de mim em termos de compromisso, eu só queria ser livre nesse tempo. Eu havia perdido um pouco da diversão no esporte e no porquê estava fazendo isso, e precisava encontrar a diversão novamente. Eu não estava pronta para ouvir, mas aquilo ainda ficou na minha cabeça o tempo todo.”
  • El-Hag: “Ela não estava pronta para fazer mudanças dramáticas em sua abordagem e queria continuar a cultivar a mentalidade competitiva que estava se mostrando bem-sucedida. Três anos depois, desta vez as circunstâncias foram um pouco diferentes. Nessa volta, ela estava em uma posição em que sabia o que queria de um treinador e montou uma equipe para apoiar outros aspectos de seu jogo; desempenho mental, nutrição e trabalho corporal. ”
    • “Ela sentiu que a última peça do quebra-cabeça era contratar um treinador que pudesse cuidar da programação e do desenvolvimento físico. Tivemos alguma interação anterior e, antes de confirmar sua decisão, ela procurou Noah para conseguir algumas dicas sobre meu processo de treinamento. Depois que ela ouviu o que precisava ouvir, atendemos a uma chamada para definir algumas metas, definir limites e decidir se queríamos seguir em frente para enfrentar a temporada juntos. No final das contas, nós dois sentimos que era o momento certo e um bom encaixe”, El-Hag continuou.
  • Sigmundsdottir: “Aprendi muito com meus erros desde então e, no ano passado, tive tantos papéis diferentes, como atleta, estudante, na família, que fiquei sobrecarregada. O que tornou a decisão fácil neste momento foi que eu havia me puxado por um longo tempo, sozinha, para finalmente estar pronta para o que Max me apresentou, em termos de acreditar em mim e o que ele acreditava que eu precisava fazer para atingir meu potencial ”

Faltando apenas um mês para o início oficial da temporada, a relação técnico-atleta teve que começar a funcionar enquanto Sigmundsdottir continua a reconstruir sua saúde das doenças de 2020. É uma tarefa difícil, mas alguns elementos tornaram os estágios iniciais produtivos .

  • Sigmundsdottir: “Max construiu uma equipe tão boa ao seu redor, o que também adoro nisso é que ele recebe opiniões de outras pessoas, não tem medo de fazer perguntas e não precisa ser o treinador e especialista em todas as áreas. Ele é muito bom com a mentalidade, mas está disposto a ser aberto e aprender ainda mais e ouvir o atleta. Ele é honesto, diz exatamente o que está pensando, não há mimimi e eu amo isso. Ele não tem medo de chamar a atenção, ao fazer isso, simplifica as coisas para que você não pense demais. “
  • El-Hag: “Construir relacionamentos leva tempo, então alguns meses não são suficientes para estabelecer uma perspectiva completa ou vínculo de relacionamento. Mas, no pouco tempo em que trabalhamos juntos, eu diria que foi uma experiência gratificante para mim. Definitivamente, ainda estamos aprendendo a trabalhar juntos e pode ser difícil fazer mudanças no treinamento ou na maneira de pensar de um atleta veterano ”.
    • “No entanto, estou surpreendido positivamente por já termos começado a acumular vitórias nos treinos. Estou animado porque temos alguns objetivos de competição de longo prazo bem claros e alguns objetivos de treinamento de curto prazo para nos ajudar a atingir essas conquistas. Acredito que ela está aprendendo a confiar na minha experiência como treinador e se sente apoiada pelo resto da equipe que formou.”

O caminho a seguir é uma oportunidade significativa para o crescimento de ambos os lados, dado o sucesso anterior de El-Hag com atletas semelhantes e a história competitiva que Sigmundsdottir traz para a mesa como uma atleta com duas medalhas dos CrossFit Games no currículo.

  • Sigmundsdottir: “Noah (Ohlsen) era muito parecido comigo, todo mundo sabia seu potencial, mas ele estava sempre competindo nos Games e ficava triste e tinha muito medo, ao invés de aproveitar o que estava fazendo. Isso é exatamente o que eu experimentei. Ele estava colocando tanta pressão sobre si mesmo que no dia do jogo não conseguia atingir seu potencial. Eu me identifico muito com isso.”
    • “Estou aprendendo a confiar em meu corpo de novo, ao mesmo tempo que tento melhorar meu condicionamento físico. Também estou aprendendo a confiar em outra pessoa nessa função e, como fui minha própria treinadora por uma temporada, sou péssima em me comunicar, o que significa que também estou reaprendendo esse processo e colocando-o nas mãos de alguém . É uma grande área de crescimento para mim. ”
  • El-Hag: “Esta foi uma grande oportunidade para mim como treinador. Trabalhar com alguém como a Sara exige que eu aprenda a me comunicar com mais clareza, ela me desafia a pensar sobre meus métodos e me conecta a um público mais amplo para aumentar a comunidade do Training Think Tank.
    • “No entanto, todas as grandes oportunidades também vêm com desafios, que sinto que ambos estamos prontos para enfrentar. Meu objetivo, em última instância, é ajudá-la a alcançar seus objetivos com uma abordagem veterana mais refinada. Se fizermos isso com sucesso, acredito que seremos capazes de refletir sobre a experiência e dizer que ambos agregamos valor à vida um do outro no atletismo profissional e fora da arena competitiva.”

A temporada de 2021 marcará a quinta desde que Sigmundsdottir subiu ao pódio dos Games pela última vez, mas aos 28 anos ela ainda tem alguns de seus melhores anos atléticos pela frente no esporte. O potencial de Sigmundsdottir é inegável e, com planos de passar um tempo na Geórgia treinando pessoalmente com a equipe do Training Think Tank, a islandesa “Dottir”, espera que uma abordagem e um ambiente novos tornem suas lutas nos Games uma coisa do passado .

Get the Newsletter

For a daily digest of all things CrossFit. Community, Competitions, Athletes, Tips, Recipes, Deals and more.

  • This field is for validation purposes and should be left unchanged.