CrossFit Games

As Três Maiores Dúvidas Acerca do Patrocínio Oficial da NOBULL

March 2, 2021 by
Image Credit: NOBULL
Enjoying Morning Chalk Up? Access additional exclusive interviews, analyses, and stories with an Rx membership.

A era NOBULL nos CrossFit Games está oficialmente aberta, a empresa de roupas com sede em Boston, nascida dentro da própria comunidade do CrossFit, foi anunciada como patrocinadora oficial dos Games nas próximas três temporadas.

A promessa da maior prêmiação em dinheiro da história dos Games acompanhou o anúncio, juntamente com diferentes manifestações da comunidade nas redes sociais, mas ainda há muito a ser revelado sobre os detalhes do negócio e o impacto que ele pode vir a ter sobre o esporte e comunidade em geral.

Faltando menos de 10 dias para o início oficial da temporada, abaixo estão as três grandes questões que ainda precisam ser respondidas após o anúncio do patrocínio oficial.

1. Como o NOBULL atenderá as demandas da comunidade do CrossFit?

O obstáculo: atender as demandas globais de uma comunidade de mais de 14.000 academias não é pouca coisa para uma empresa de roupas grande parte sediada nos EUA e que foi fundada em 2015. Quando a Reebok assinou o contrato, uma década atrás, a comunidade era menor, o mercado de roupas e calçados específicos de CrossFIt eram praticamente inexplorados, e a Reebok tinha três décadas de infraestrutura internacional, com cadeias de suprimentos que poderiam atender a demanda.

O lado bom: os CrossFitters adoram coisas, e a exposição da marca será grande. Os seguidores dedicados que a NOBULL construiu em tão curto espaço de tempo, juntamente com seu grupo de atletas, garantem que será necessário um pouco de paciência para que se desenvolvam, sabendo que a demanda ainda existirá. Tia-Clair Toomey, Katrin Davidsdottir, Brooke Wells e Justin Medeiros foram os cinco melhores atletas dos Games em 2020 e terão um papel vital no futuro da parceria.

O lado ruim: o momento e a natureza do anúncio não deixam muito tempo de calendário físico no curto prazo. O Open começa em pouco mais de uma semana, e a constante evolução e modificação do cenário da pandemia apresenta uma variedade de obstáculos potenciais para a expansão e logística, que podem mudar em um piscar de olhos.

Os indecisos: As expectativas razoáveis ​​para a escala da NOBULL no primeiro ano de um acordo anunciado tão perto do início da temporada são difíceis de mensurar. Ainda mais difícil de determinar é como o aumento da demanda pode parecer em termos de números reais durante uma pandemia e mais, sem uma compreensão mais profunda das letras miúdas. Atender a demanda seria um grande benefício para a marca.

2. Como a NOBULL atenderá as demandas dos atletas dos CrossFit Games?

O obstáculo: os CrossFit Games são enormes, tanto do ponto de vista de desenvolvimento de produto quanto de volume. A natureza do evento exige uma ampla gama de produtos para dar conta do desconhecido e incognoscível que está no horizonte para os, cerca de, 600-800 atletas que podem garantir seu lugar na arena dos CrossFit Games. O kit do atleta dos Games (e subsequente publicação na mídia social) se tornou um símbolo da experiência do atleta no mais alto nível e um emblema de honra para os atletas promissores. Em anos anteriores, a Reebok projetou com muita antecedência o kit dos atletas para cumprir os prazos de produção.

O lado bom: o grupo mencionado de atletas de elite dos Games oferece uma sólida base para o desenvolvimento de produtos de alto nível. Nos últimos anos, a contribuição dos atletas foi fundamental na criação de roupas e calçados que resistiriam ao teste que Dave Castro e sua equipe implementaram. A mudança da regra de exclusividade de calçados nos Games de 2019 – algo que não mudou em 2021 – deu à NOBULL dois anos de testes para seus produtos antes de assumir a liderança dos Games, além do tempo gasto vendo seus produtos em ação nos Sancionados. As adições mais recentes de produtos como o tênis de ciclismo e o de corredor de trilha expandiram suas ofertas principais o suficiente para lhes dar uma base melhor.

O lado ruim: construir o kit dos Games leva uma grande quantidade de tempo. Desenvolver novos calçados, algo que a Reebok fazia todos os anos para os Games, leva tempo. Tanto que a Reebok tinha uma instalação em Indianápolis especificamente para a construção dos kits do evento. A Reebok também tinha outros departamentos da empresa para recorrer. A magnitude do esforço significava que nesta época do ano – pense no encerramento do Open em março – o design e a maior parte do trabalho de impressão tinham sido concluídos sem os nomes e números dos atletas. O primeiro ano da NOBULL e a construção de seu próprio kit sofrerá um relativo aperto de tempo, faltando menos de cinco meses para a semana proposta dos Games em julho.

Os indecisos: quanto tempo a NOBULL teve para se preparar para isso. A duração e a natureza das negociações do contrato poderiam ter proporcionado a eles mais alguns meses de preparação, em antecipação ao anúncio final. O kit dos Games normalmente tem mais de 40-50 peças e as vezes até seis linhas de calçados exclusivos para os vários cenários de competição. Será interessante ver se a NOBULL tem algum novo produto para ser lançado na manga.

3. Como a marca NOBULL como um todo evoluirá enquanto estiver como patrocinadora oficial?

O obstáculo: até agora, a NOBULL conquistou sua posição na comunidade como uma marca boutique, cuidadosamente pensada em comparação com os concorrentes no espaço. Tudo, desde a seleção do atleta, design geral e cronograma de lançamento, foi cuidadosamente selecionado para se encaixar perfeitamente como uma opção distinta das outras marcas, com a alegação de ter nascido diretamente do ecossistema do CrossFit. Esse nicho fica de lado até certo ponto quando, de repente, uma marca forjada debaixo do “lançamento especial”, de repente salta economicamente para a frente da fila como patrocinador oficial.

O lado bom: não quero soar como um disco quebrado, mas ter alguns dos rostos mais conhecidos do esporte, mais uma vez fornecerá uma base para aprender a liderar pela dianteira. A NOBULL também desenvolveu esforços de mídia que se apoiaram em sua recém-descoberta força do lado do atleta e serão uma engrenagem importante na narrativa e apresentação necessárias para uma marca do tamanho de um patrocinador oficial. Já se passaram mais de 20 meses desde que Davidsdottir e Toomey se juntaram a Wells na equipe da NOBULL e, desde então, houve o marketing inteligente e exclusivo da marca e a linha de produtos desenvolvida em torno delas por meio da “Campanha Mais que Influenciadores”.

O lado ruim: o que funciona para 1.000 nem sempre é o que funciona para 100.000 ou 1.000.000. Por terem sido a marca boutique comparativamente, eles foram capazes de levar as coisas mais devagar no lado da inovação, lançando novos colorways e pequenas variações de seu treinador clássico sem desenvolver novas iterações ao mesmo tempo, permanecendo com um preço mais alto do que a Reebok e a Nike em suas ofertas básicas. Eles conseguiram lançar novos produtos como os tenis de corrida, ou de corrida de trilha, mas para capitalizar adequadamente a parceria, eles terão que evoluir como uma marca e possuir totalmente sua nova identidade como patrocinadores oficiais dos Games. Seu antecessor e o feedback da comunidade até agora sugeriram que poderia ser necessária uma expansão de suas ofertas e mais inovação em vários níveis de preço para ser mais inclusivo para a comunidade mais ampla em todo o mundo.

Os indecisos: como será o cenário do CrossFit, ou do mundo nesse caso, daqui a seis meses, um ano ou dois anos? A inovação e o desenvolvimento de produtos para o lançamento mundial de um calçado podem facilmente levar 18 meses e, com um contrato de três anos, há uma janela pequena para a ação. Há tanta imprevisibilidade ao operar em alta velocidade que torna os erros prováveis ​​e a paciência da comunidade uma necessidade. 

Conclusão: essas perguntas não serão respondidas imediatamente, nem deveriam. Basta procurar empresas como a Rogue ou a Reebok, que efetivamente capitalizaram parcerias com a CrossFit para servir a comunidade de uma forma tremenda e com grande benefício. Uma boa parte da comunidade de hoje não estava por perto quando o negócio com a Reebok foi fechado, mas sim o feedback inicial da comunidade foi misto, na melhor das hipóteses. No final das contas, o esporte cresceu, a comunidade cresceu e a parceria com o CrossFit permitiu que a Reebok desenvolvesse um portfólio impressionante de roupas de treinamento especificamente para a modalidade

 A paciência da comunidade foi um catalisador nesse processo. A NOBULL também deve receber essa paciência, como uma empresa claramente dedicada e enraizada no CrossFit. Uma empresa nascida na comunidade, agora com a tarefa de servir a comunidade em uma escala mais ampla, ao mesmo tempo que compromete uma enorme quantidade de dinheiro para a comunidade pelos próximos três anos. É um bom ponto de partida, dado tudo o que aconteceu no ano passado.

Get the Newsletter

For a daily digest of all things CrossFit. Community, Competitions, Athletes, Tips, Recipes, Deals and more.

This field is for validation purposes and should be left unchanged.