Larissa Cunha é Uma Realidade, Não Apenas na América Latina, Mas Entre as Melhores do Mundo

June 15, 2021 by
Credit: Marcelo Kodato (instagram.com/marcelo.kodato/)
Enjoying Morning Chalk Up? Access additional exclusive interviews, analyses, and stories with an Rx membership.

Editor’s Note: This story was translated to Portuguese from the original English version, which you can read here.

Depois de estar “100 por cento investida no esporte”, desde 2019, quando perdeu por pouco a classificação para os CrossFit Games, Larissa Cunha dominou o Brazil CrossFit Championship no fim de semana, terminando com 560 pontos, 32 pontos à frente da atleta argentina Sasha Nievas.

  • “Há muito tempo que esperávamos por esse momento porque trabalhamos duro juntos e me desenvolvi muito bem desde 2019”, disse Lari Cunha após as quartas de final sobre o trabalho que ela e seu técnico, Bernardo Camargo, vêm fazendo.
  • “Estamos muito perto de conseguir uma passagem para os Games. Ainda não era a minha hora, mas continuamos a trabalhar. E a trabalhar muito.”

Finalmente chegou a sua hora: por mais impressionante que tenha sido o desempenho de Lari Cunha no Brazil CrossFit Championship, é ainda mais impressionante quando você compara sua pontuação com a das atletas das duas semifinais europeias.

  • Lari Cunha contra Europa: a pontuação de Lari Cunha – que considerando o formato online pode ser comparada diretamente às atletas europeias – teria rendido a ela um ingresso para os CrossFit Games no CrossFit German Throwdown. Ela teria ficado em quarto lugar, apenas 20 pontos atrás de Katrin Davidsdottir.
  • Enquanto isso, o desempenho de Lari Cunha nas semifinais a teria colocado em um empate por pontos em sexto lugar com Karin Freyova no CrossFit Lowlands Throwdown, bom o suficiente para ter lhe rendido o primeiro lugar no Last Chance Qualifier.

Importante ressaltar: o tempo dela no Evento 1 – Friendly Fran – é o melhor do mundo até agora, e por uma boa diferença em um treino tão curto.

  • Ela completou os 63 thrusters e 63 chest to bar pull-ups em 3:43. O próximo melhor resultado no fim de semana foi de 4:06 da Laura Horvath.
  • Dando contexto: o Friendly Fran fez sua estreia nos CrossFit Games online do ano passado, também como treino de abertura da competição, e a única atleta feminina que foi mais rápida que Cunha foi a tetra-campeã dos CrossFit Games Tia-Clair Toomey (3:40 )

Vale a pena notar: Lari Cunha não foi a única atleta latino-americana com uma performance impressionante no fim de semana. A equipe Fourmixx Brasil que venceu o Brazil CrossFit Championship também teria se saído bem contra as grandes equipes europeias. Sua pontuação foi boa o suficiente para ter vencido o CrossFit Lowlands Throwdown e ficar em segundo lugar, atrás do CrossFit Oslo Wolfpack no CrossFit German Throwdown.

Por que isso importa: Historicamente, os atletas latino-americanos não têm sido candidatos no cenário mundial, então essas atuações, tanto de Cunha quanto do Team Fourmixx Brasil, são uma evidência de seu potencial de ascensão no esporte.

  • De 2011 a 2014, nenhum atleta da América Latina que se classificou para os Games ficou entre os 40 primeiros.
  • Então, de 2015 a 2017, nenhum atleta latino-americano sequer se classificou para os Games Naqueles anos, as eliminatórias regionais da América Latina disputavam vaga contra os atletas americanos da Regional Sul.
  • Ganhando exposição: em 2018, a CrossFit LLC reintroduziu uma região puramente latino-americana. A mexicana Brenda Castro garantiu a vaga para os Games, onde se tornou a primeira atleta latino-americana a quebrar o top 40. Ela ficou em 34º lugar.
  • No ano seguinte, em 2019, o campeão nacional de cada país se classificou pelo Open, então houve uma série de competidores latino-americanos que ganharam experiência nos Games. A melhor mulher latino-americana em 2019 foi Simona Quintana, do Chile (36º).
  • Em alta: No ano passado, a argentina Melina Rodriguez alcançou a 28ª colocação mundial no Open, algo sem precedentes. Ela teve um grande avanço para a América Latina ao terminar em 17º nos Games online, o melhor resultado de uma mulher latino-americana na história.

O panorama geral: embora Lari Cunha ainda não tenha se provado nos Games, suas atuações nesta temporada, até agora – não apenas nas semifinais, mas também no Open, onde foi 23º mundial, e nas quartas de final, onde teve performances de nível mundial, como 4RM de Front Squat com 271 libras – são um forte argumento tanto para as habilidades de Lari Cunha quanto para a ascensão da América Latina no esporte.

Get the Newsletter

For a daily digest of all things CrossFit. Community, Competitions, Athletes, Tips, Recipes, Deals and more.

This field is for validation purposes and should be left unchanged.