Previsão das Quartas de Final: América do Norte

March 31, 2021 by
Credit: CrossFit LLC
Enjoying Morning Chalk Up? Help to ensure that we can continue to be an independent voice for the community and sport we love by supporting our journalism today.

Editor’s Note: This story was translated to Portuguese from the original English version, which you can read here.

Finalmente, em nossa série de prévias das quartas de final está o continente da América do Norte, que é, de modo geral, o maior continente em termos de participação e representação nas semifinais, e historicamente tem sido um gigante em termos de presença nos Games.

No total, 6.594 mulheres e 7.410 homens são elegíveis para competir nas quartas de final da América do Norte – mais do que o dobro da Europa, que é o continente mais próximo. Com quatro eventos da semifinal em andamento para a próxima fase na América do Norte, 120 homens e 120 mulheres eventualmente passarão das quartas de final quando o fim de semana terminar.

O que significa que apenas 1,8% das mulheres elegíveis e 1,6% dos homens passarão para a próxima rodada, tornando-se a porcentagem de avanço mais baixa de qualquer continente, apesar de ter o maior número de inscrições e número bruto de vagas nas semifinais.

Seguindo o fluxo dos meus colegas, abaixo estão alguns atletas a serem observados e que podem se destacar pela experiência de competição, mas também vale a pena ficar de olho com base nas colocações atuais entre os 120 primeiros.

Divisão Feminina

Testadas em batalha: O continente da América do Norte está repleto de nomes familiares que continuaram a se classificar ano após ano ou que terminaram várias vezes entre os 10 primeiros nos Games: Kristi Eramo-O’Connell, Brooke Wells, Haley Adams, Kari Pearce, Amanda Barnhardt, Bethany Shadburne, Carol-Ann Reason-Thibault, Becca Voigt-Miller, Alessandra Pichelli, Lauren Fisher, Chyna Cho, Cassidy Lance-McWherter e Tennil Beuerlein se encaixam nesta subcategoria.

Atletas dos Games beirando a elite: Algumas dessas atletas podem ter se classificado para os Games antes, mas não têm a mesma experiência (ainda) que algumas das mulheres anteriores têm. Salvo algum imprevisto, elas devem fazer valer sua presença na próxima rodada: Dani Speegle, Danielle Brandon, Chloe-Gauvin David, Carolyn Prevost, Kristine Best, Mekenzie Riley, Mandi Janowitz, Paige Semenza, Emily Rolfe, Kendall Vincelette, Feeroozeh Saghafi, Taylor Streid, Brenda Castro, Stephanie Chung, Meg Reardon, Kelley Jackson, Mckenzie Flinchum, Carrie Beamer e Alex Parker destacam o quão rico é o número de atletas com experiência individual nos Games.

Jovens com potencial: mais do que em qualquer outro ano, há uma presença de atletas adolescentes e mulheres jovens cujas carreiras ainda estão em sua infância, no topo da tabela de classificação tanto no cenário mundial quanto em cada continente. Emma Cary, Mallory O’brien, Emma Lawson, Paulina Haro, Shelby Neal, Sydney Michalyshen, Olivia Sulek, Freya Moosbrugger, Anikha Greer, Paige Powers, Kaela Stephano, Adison Balderston, Alexis Raptis, Faith Ferguson, Rebecca Fuselier, Elena Budz, Lindsey Porter, Lexi Neely e Chloe Carano têm 22 anos ou menos e já estão mais em forma do que 99% das mulheres do mundo todo no Open.

Participantes de Sancionados e Regionais: este é, relativamente o ponto cego da competição, onde certas atletas tiveram sucesso em competições do nível mais alto, como Regionais no passado, ou nas divisões de elite de um Sancionado nos últimos anos, como Amy Morton, Kelly Clark, Kloie Wilson, MaryKay Dreisilker, Baylee Rayl, Bailey Meraviglia, Allison Scudds, Nicole Mghenyi e Breona Wallin, apenas para citar alguns.

Atleta em destaque: uma atleta em particular que merece algum reconhecimento que a maioria das pessoas pode não dar é Joey Kimdon, de 43 anos. Kimdon é a atual campeã dos CrossFit Games na divisão feminina 40-44 e terminou em 64º na América do Norte como individual. Ela está em uma posição privilegiada para chegar à semifinal e, aos 40 anos, se classificou e competiu na West Regional de 2018, onde terminou em 33º no geral. Apesar de ter apenas 5’1 ”125 libras, ela bate de frente repetidamente nas competições com atletas que são mais de uma década mais jovens que ela.

Divisão Masculina

Testados em batalha: assim como na divisão feminina, você deve reconhecer todos esses nomes e esperar vê-los nas semifinais e provavelmente nos Games em Julho. Scott Panchik, Noah Ohlsen, Patrick Vellner, Brent Fikowski, Cole Sager, Travis Mayer, Ben Smith e Samuel Kwant não devem surpreender ninguém se terminarem no topo da classificação novamente no final da temporada.

Atletas dos Games beirando a elite: para a divisão masculina, isso inclui atletas em vários estágios de suas carreiras competitivas, alguns no final de seu tempo em direção ao topo do esporte, outros tentando crescer a partir de algum sucesso recente. Jeffrey Adler, Saxon Panchik, Samuel Cornoyer, Logan Collins, Cody Anderson, Tyler Christophel, Brandon Luckett, Mitchel Stevenson, Connor Duddy, Scott Tetlow, Tim Paulson, Aaron Hanna, Chandler Smith, Justin Medeiros, Streat Hoerner, Rogelio Gamboa, Alexandre Caron , Pete Shaw, Alex Vigneault, Kyle Kasperbauer, Eric Carmody, Jeff Patzer, Dan Bailey, Jason Carroll, Sean Sweeney, Marquan Jones, Alec Smith, Will Moorad e Jordan Troyan formam uma lista enorme de atletas com experiência nos Games, e que poderiam terminar em qualquer lugar, desde um pódio  até uma primeira bateria em uma semifinal.

Jovens com potencial: embora não seja uma divisão tão carregada quanto a feminina, ainda há uma presença decente de atletas adolescentes e promissores que têm uma longa pista competitiva pela frente. Cole Greashaber, Frank Minervini, Dallin Pepper, James Sprague, Spencer Arey, Garrett Clark e Logan Ewing obtiveram sucesso significativo no início da temporada de 2021, tudo antes de seu 23º aniversário. A lista aumenta em mais uma dúzia de atletas se você expandir para atletas de 23 anos ou menos, o que só serve para provar que a próxima geração de atletas já está batendo na porta para entrar e se sentar.

Participantes de Sancionados e Regionais: Semelhante à divisão feminina, há um grupo significativo de atletas no topo que têm experiência em Regionais e Sancionados ao longo de sua carreira e provavelmente estarão na briga até o final do fim de semana da semifinal. Cedric Lapointe, Colton Mertens, Spencer Panchik, Mitch Wagner, Jake Berman e Josh Gervais lideram um grupo de quase duas dúzias de atletas que podem ir bem até o final das quartas de final e potencialmente agitar as coisas em alguns meses.

Atleta em destaque: Alex Vigneault é um caso curioso que ocupa o 66º lugar da geral na América do Norte após o Open. Em sua melhor forma, Vigneault foi um dos 10 melhores atletas dos Games, e foi o único atleta sem ser chamado Mat Fraser a ter a liderança geral em qualquer momento durante os CrossFit Games de 2016, liderando após a escada de Deadlift do Rancho. Ele tirou um tempo do esporte para seguir outras carreiras, mas ainda possui o talento para ser relevante no final da temporada. Vale a pena ficar de olho nele este fim de semana

Get the Newsletter

For a daily digest of all things CrossFit. Community, Competitions, Athletes, Tips, Recipes, Deals and more.

  • This field is for validation purposes and should be left unchanged.