Dificuldades de Chegar a Madison, Teen Venezuelano Espera Conseguir Superar as Restrições de Viagem

June 7, 2021 by
Courtesy of Connor Martin
Enjoying Morning Chalk Up? Access additional exclusive interviews, analyses, and stories with an Rx membership.

Editor’s Note: This story was translated to Portuguese from the original English version, which you can read here.

Em 2019, Amato Mazzocca se tornou o primeiro atleta de CrossFit venezuelano a ganhar uma medalha nos CrossFit Games, quando ficou em segundo lugar na divisão de 14-15 anos.

  • Depois disso, ele voltou para casa em Madrid, Espanha e foi “movido pelo desejo de subir ao pódio” no ano seguinte, explicou o treinador de Amato, Connor Martin, que começou a trabalhar com Mazzocca após os Games de 2019.
  • As coisas estavam indo bem para ele na última temporada, mas então surgiu a pandemia e Amato nunca teve a chance de voltar para Madison, WI.

Desafios de 2021: neste verão, ele finalmente espera competir e finalmente voltar ao pódio – desta vez na divisão de 16-17 anos – no entanto, os desafios financeiros e logísticos estão tornando isso difícil.

  • Mesmo que ele trabalhe meio período à noite para ajudar com a situação financeira da família, é improvável que sua mãe possa mandar seu filho para Madison sem uma “assistência substancial”, disse Martin.
  • É por isso que Martin criou uma página GoFundMe para seu atleta com a esperança de arrecadar US $5.000 para cobrir os custos de voos, alimentação e hospedagem.
  • Para aumentar os custos financeiros, devido às contínuas restrições de viagens da COVID-19 pela Europa, ele terá que viajar para outro país por duas semanas antes de entrar nos Estados Unidos em julho deste ano.
  • Provavelmente ele fará isso na República Dominicana, explicou Martin, porque ele tem um amigo que mora perto de uma academia de CrossFit. “Dito isso, acabei de ver no noticiário que eles podem fechar a República Dominicana, então teremos alguns planos de contingência em vigor, mas é definitivamente um pesadelo logístico”, acrescentou Martin.

Coaching Mazzocca: Como Martin fala muito pouco espanhol e Mazzocca muito pouco inglês, eles usam o Google Translate para revisar vídeos e se comunicar por meio do aplicativo TrueCoach e no WhatsApp.

  • “Levou um tempo para nos ajustarmos, mas acho que nos últimos dois anos nós entramos em um bom ritmo”, disse Martin, acrescentando que está impressionado com o quanto Amato melhorou.
  • “Ver sua resistência muscular e comparar o que ele está fazendo agora com o que eu fazia quando tinha a idade dele é uma loucura. Ele está anos-luz à frente ”, disse Martin, um atleta dos CrossFit Games de 2007 que também era adolescente na época.
  • Mais do que tudo, porém, Martin está impressionado com a ética de trabalho do atleta. “Ele é super motivado e um dos atletas mais talentosos com quem já trabalhei”, disse ele.

Conclusão: Martin está determinado a levar Amato Mazzocca, que ficou em 10º lugar no Age Group Online Qualifier apesar de ter lutado contra lesões na época, para Madison neste verão, e acha que ele tem uma grande chance de lutar pelo título.

Get the Newsletter

For a daily digest of all things CrossFit. Community, Competitions, Athletes, Tips, Recipes, Deals and more.

This field is for validation purposes and should be left unchanged.