CrossFit Games

As Mulheres Imparáveis do CrossFit: 14 Atletas Masters para Ficarmos de Olho em 2021

May 4, 2021 by
Photo Courtesy of CrossFit LLC
Enjoying Morning Chalk Up? Access additional exclusive interviews, analyses, and stories with an Rx membership.

Editor’s Note: This story was translated to Portuguese from the original English version, which you can read here.

À medida que o esporte do CrossFit envelheceu, também envelheceram os originais atletas que antes dominavam a competição nos CrossFit Games. No entanto, talvez um dos elementos mais únicos do esporte do fitness seja sua comunidade proeminente e ativa de competidores masters, dando aos atletas a capacidade de continuar competindo no esporte à medida que envelhecem.

Importante ressaltar: nos últimos três anos, um dos acontecimentos mais empolgantes na divisão master, é o retorno dos antigos atletas dos CrossFit Games ao piso de competição.

  • É válido dar destaque às mulheres que provaram ao longo dos anos que a idade é apenas um número.
  • Conforme elas saíram de suas carreiras individuais e seguiram para outros empreendimentos em suas vidas, muitas ainda voltaram a cada ano para o piso de competição para provar seu fitness mais uma vez em sua faixa etária. Este ano não é exceção.
  • Uma rápida olhada na lista de atletas inscritas para o Age Group Online Qualifier (AGOQ) revela várias ex-competidoras de alto nível dos Games, prontas para deixar sua marca na divisão master.

Os detalhes: Cada uma dessas mulheres teve sucesso como atleta na divisão individual (e algumas continuam tendo). Aqui está um rápido resumo do currículo competitivo de cada uma:

Carleen Matthews: 37 anos (divisão 35-39)

  • Colocação no Open: 84º
  • 3 participações individuais nos Games
    • 2015: 36
    • 2016: 23
    • 2017: 38
  • 1 participação como master
    • 2019: 2 (35-39)

Alessandra Pichelli: 35 anos (divisão 35-39)

  • Colocação no Open: 7º
  • 7 participações individuais, 1 participações em equipe nos Games
    • 2012 (Equipe): 3
    • 2013: 4
    • 2014: 23
    • 2015: 32
    • 2016: 9
    • 2017: 11
    • 2018: 14
    • 2019: 13

Annie Sakamoto: 45 anos (divisão 45-49)

  • Colocação no Open:: 2o
  • 2 participações individuais nos Games, 1 participação em equipe
    • 2009 (Equipe): 33
    • 2011: 9 (Ganhadora do Spirit of the Games)
    • 2012: 23

Kelly Jackson: 37 anos (divisão 35-39)

  • Colocação no Open: 6º
  • 2 participações individuais nos Games, 1 participação em equipe
    • 2014: 27
    • 2015: 37
    • 2016 (equipe): 23

Kristin Holte: 35 anos (divisão 35-39)

  • Colocação no Open: 1º – Ainda não registrada no AGOQ
  • 7 participações individuais nos Games
    • 2014: 16
    • 2015: 17
    • 2016: 12
    • 2017: 7
    • 2018: 7
    • 2019: 2
    • 2020: 6

Samantha Briggs: 39 anos (divisão 35-39)

  • Colocação no Open: 3º – Ainda não registrada no AGOQ
  • 8 participações individuais, 2 participações como master nos Games
    • 2010: 19
    • 2011: 4
    • 2013: 1
    • 2015: 4
    • 2016: 4
    • 2017: 9
    • 2018: 2 (Divisão 35-39)
    • 2019: 18
    • 2020: 25

Whitney Gelin: Idade 36 (divisão 35-39)

  • Colocação no Open: 39º – Ainda não registrada no AGOQ
  • 3 participações individuais nos Games
    • 2015: 19
    • 2017: 26
    • 2018: 28

Rebecca Voigt Miller: 40 anos (divisão 40-44) – Detentora do recorde histórico de maior número de participações nos CrossFit Games.

  • Colocação no Open: 2
  • 10 participações individuais, 2 participações como master nos Games
    • 2008: 7
    • 2009: 20
    • 2010: 7
    • 2011: 3
    • 2012: 10
    • 2013: 11
    • 2014: 24 (Ganhadora do Spirit of the Games)
    • 2015: 31
    • 2016: 35
    • 2017: 3 (divisão 35-39)
    • 2018: 27
    • 2019: 3 (divisão 35-39)

Val Voboril: 42 anos (divisão 40-44)

  • Colocação no Open: 6º – Ainda não registrado para AGOQ
  • 6 participações individuais nos Games
    • 2009: 44
    • 2010: 5
    • 2012: 3
    • 2013: 3
    • 2014: 5
    • 2017: 32

Jennifer Smith: 34 anos (divisão 35-39)

  • Colocação no Open: 26º – Ainda não registrada no AGOQ
  • 3 participações individuais, 3 participações em equipe nos Games
    • 2010: 44 (Equipe)
    • 2012: 19 (equipe)
    • 2013: 22
    • 2016: 36
    • 2018: 36
    • 2019: 6 (Equipe)

Alethea Boon: 37 anos (divisão 35-39)

  • Colocação no Open: 23º – Ainda não registrada no AGOQ
  • 3 participações individuais nos Games, 1 participação em equipe, 1 participação como master
    • 2014: 6 (Equipe)
    • 2015: 20
    • 2016: 40
    • 2017: 21
    • 2018: 5 (divisão 35-39)

Anna Tobias: 38 anos (divisão 35-39)

  • Colocação no Open: 24 – Ainda não registrado para AGOQ
  • 5 participações individuais, 2 participações como master nos Games
    • 2013: 9
    • 2014: 22
    • 2015: 22
    • 2016: 10
    • 2017: 25
    • 2018: 1 (divisão 35-39)
    • 2019: 1 (divisão 35-39)

Stacie Tovar: 36 anos (divisão 35-39)

  • Colocação no Open: 36º – Ainda não registrado no AGOQ
  • 7 participações individuais nos Games
    • 2009: 36
    • 2010: 14
    • 2011: 37
    • 2012: 12
    • 2013: 20
    • 2015: 11
    • 2016: 28
    • 2017: 27

Cheryl Nasso: 35 anos (divisão 35-39)

  • Colocação no Open: 191º – Ainda não registrado para AGOQ
  • 2 participações individuais, 1 participação em equipe nos Games.
    • 2011: 42
    • 2015: 17 (Equipe)
    • 2019: 39

Cheryl Brost: 49 anos (divisão 50-54)

  • Colocação no Open: 2º – Ainda não registrada para AGOQ
  • 3 participações individuais, 5 participações como master nos Games.
    • 2010: 13
    • 2011: 7
    • 2012: 15
    • 2014: 2 (Divisão 40-44)
    • 2015: 4 (divisão 40-44)
    • 2016: 1 (divisão 45-49)
    • 2017: 1 (Divisão 45-49)
    • 2019: 7 (divisão 45-49)

Além dos números: talvez o mais impressionante sobre essas mulheres não seja apenas suas histórias ou notoriedade no esporte, mas sua vontade de continuar competindo, apesar das mudanças não apenas em suas vidas pessoais e profissionais, mas também no cenário do CrossFit competitivo .

  • Não só os CrossFit Games estão muito diferentes de quando atletas como Val Voboril e Stacie Tovar competiram pela primeira vez, em 2009, mas suas vidas também parecem incrivelmente diferentes.
  • Desde o início de suas carreiras, elas tiveram filhos, iniciaram negócios e inspiraram e treinaram centenas de pessoas em suas jornadas no mundo fitness.

O panorama geral: talvez a coisa mais importante que podemos aprender com essas mulheres seja perseverança e determinação. Apesar de muitas delas seguirem para outras prioridades em suas vidas com o passar dos anos e suas carreiras individuais chegando ao fim, todas conseguiram manter uma parte desse espírito competitivo dentro de si e perseveraram durante o treinamento, mesmo que tivessem que apertar em 1 sessão por dia às 5h30 para acomodar às suas vidas, agora ocupadas, para voltar à arena a cada ano para outra participação.

Get the Newsletter

For a daily digest of all things CrossFit. Community, Competitions, Athletes, Tips, Recipes, Deals and more.

This field is for validation purposes and should be left unchanged.