O mais concorrido fin de semana des eventos sancionados da temporada no horizonte, com três competições disponíveis para atletas e equipes tentando ganar um convite para os CrossFit Games 2019. O tempo está começando a se esgotar e, após esse final de semana, apenas três eventos permanecem no calendário.

Para um punhado de atletas e equipes que participam do  Brasil CrossFit Championship, o andar de competição no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, Brasil, representa uma oportunidade além da meta superficial de ganhar um lugar para Madison. É uma chance de recuperar conquistas passadas e reconstruir carreiras que foram prejudicadas por lesões, doenças e adversidades.

Redenção para Invictus X

Menos de um mês atrás, as coisas pareciam muito diferentes para a equipe de um dos ginásio mais célebres da história da CrossFit Games. Invictus X tinha acabado de ganhar o Mid-Atlantic CrossFit Challenge, vencendo um talentoso equipe MisFit, e um dos membros de sua equipe, Chantelle Loehner, estava na fila para se qualificar através do Open para seus primeiros CrossFit Games como um indivíduo.

Então tudo desabou.

Loehner testou positivo para os PEDs, o seu lugar para os Games esperando a prova de amostras B, junto com a invitaçao Invictus X. De repente, a equipe que terminou em segundo no Reebok CrossFit Games de 2018 foi deixado lutando por um plano de resgate.

A equipe voltou suas atenções para o Brasil e acrescentou Hayley Murillo à lista para substituir Loehner. Murillo também estará procurando um resgate dela depois de ter sido penalizada em 19.3 durante o processo de revisão de vídeo, tirando-a de uma das 20 melhores posições de qualificação mundial, e provocando uma retirada emocional do Open nas redes sociais.

Uma vitória no Brasil para Invictus X ajudaria a aliviar a dor das últimas quatro semanas e traria algum resgate na forma de outro convite para os CrossFit Games.

O caminho de Anderson e Moorad para a recuperação

Durante o Reykjavik CrossFit Championship, detalhamos o retorno de Will Moorad de uma falha nos rins e um erro de diagnóstico para tentar voltar aos CrossFit Games. Moorad conseguiu o pódio na Islândia, mas ele ficou a um lugar para receber o convite.

O resultado traz Moorad para  Brasil, onde ele vai procurar pegar  pódios consecutivos na Islândia e no MACC. Juntando-se a ele na missão de voltar aos Games, após alguns obstáculos na estrada, está ZA Anderson, o mais velho do trio de irmãos Anderson e primeiro a se qualificar para os CrossFit Games.

Anderson se classificou para os Games em 2013, onde terminou em 10º e parecia pronto para construir uma carreira considerável no esporte. As duas temporadas seguintes foram marcadas por uma lesão nas costas e uma paralisia do nervo torácico. Depois de um breve retorno em 2016 que terminou com o 12º lugar na Regionals, outro revés veio depois que ele bateu em seu carro, deixando Anderson com hérnia de disco, exigindo cirurgia, e terminando sua corrida de 2017 no dia do primeiro anúncio do Open.

No ano passado, Anderson terminou em 27º na Atlantic Regional e pela primeira vez desde que se classificou para os Jogos, ele é saudável o suficiente para competir em temporadas consecutivas. Tanto Moorad quanto Anderson estarão juntos no Brasil com outros seis atletas. Se ambos conseguirem sair com o convite, será o período mais longo – seis temporadas para Anderson e cinco para Moorad – entre as aparições individuais nos Jogos.

Alison Scudds voltando à pista

Não muito tempo atrás Alison Scudds parecia prestes a dar o próximo passo como uma revelação nos Games. Scudds teve sua melhor posiçao no 7º lugar na Atlantic Regional 2017 – um final que lhe valeu um lugar na Demo Team nos Games – e seguiu-se com uma posiçao 43 no Open em 2018.

A Atlantic Regional 2018 não saiu como planejado, e Scudds terminou em lugar 23, seu pior resultado em três anos como atleta. Um ano depois, ela vem ao Brasil para seu primeiro evento sancionado, buscando recapturar algum momento de 2017.

“Eu decidi sobre o Brasil principalmente por causa do momento do evento. Foi tempo suficiente para redefinir e recarregar o treinamento e a mentalidade após o Open ”, disse Scudds, que também disse que sua meta seria“ aproveitar a experiência de estar de volta ao piso de competição e reviver meu amor para competir. ”

“Eu decidi sobre o Brasil principalmente por causa do momento do evento. (Foi) tempo suficiente para reiniciar e recarregar o treinamento e a mentalidade após o Open. ”- Alison Scudds

Dando uma olhada o campo das mulheres para o Brasil, há apenas um obstáculo em seu caminho, Paige Semenza. Semenza é a única atleta de Games no campo que ainda não tem um lugar ganho e espera melhorar seu quinto lugar no MACC no mês passado.

Evento se Scudds não sair de São Paulo com um convite, um desempenho forte pode lançar as bases para o final da temporada no French Throwdown, onde ela está atualmente em posição de ganhar uma vaga para seguir o classificatório online.


, ,

Brazil CrossFit Championship

Alison Scudds | ZA Anderson | Will Moorad


Read Next:

CrossFit Games

May 13, 2019 by

Redemption and Recovery in Brazil

The busiest sanctioned event weekend of the season is on the horizon, with three competitions on

CrossFit Games

May 7, 2019 by

Invictus Taps Hayley Murillo to Replace Loehner

The big story: Late last week, CrossFit Invictus newcomer Chantelle Loehner announced that

Get The Morning Chalk Up

For a daily Digest of all things CrossFit. Community, Athletes, Tips, Recipes, Deals and more.